Acordo de Livre Comércio Brasil-Chile o que Muda Para o Licitante

Acordo de Livre Comércio Brasil-Chile o que Muda Para o Licitante

O Brasil recentemente assinou um acordo de livre comércio com o Chile trazendo novas mudanças em relação ao comércio, telecomunicações, tarifas e licitações. Esta atualização  moderniza o acordo comercial prévio de 1996, responsável por eliminar tarifas de importação no intercâmbio bilateral de bens.

O que muda com o acordo

O Acordo de Complementação Econômica Nr. 35 culmina o do MERCOSUL entre o Brasil e o Chile, do qual os dois países já removeram as tarifas de importação ao comércio bilateral. No novo acordo foram incluídos alguns temas de natureza não tarifária, como comércio de serviços; comércio eletrônico; telecomunicações; obstáculos técnicos ao comércio; facilitação de comércio; propriedade intelectual; e micro, pequenas e médias empresas.

Para o secretário de Comércio Exterior, Abrão Neto “Esse acordo servirá como referência para diversas negociações das quais o Brasil participe ou venha a participar”. As negociações com o Chile incrementam a participação brasileira no comércio internacional.

Como o acordo beneficia as licitações

Um dos aspectos mais importantes para as micro, pequenas e médias empresa (MPMEs) é o Comércio Eletrônico, que buscou facilitar as condições das operações eletrônicas entre os fornecedores brasileiros e chilenos de serviços e de produtos.

Em âmbito de Contratação Pública permitirá às MPMEs participarem das licitações realizadas no outro país com a mesma igualdade de condições competitivas dos fornecedores locais.

Em aspectos gerais o acordo contribuirá para impulsionar o fluxo comercial e os investimentos de bens e serviços entre o Brasil e o Chile. O acordo permitirá a ampliação da competição nas licitações dos dois países, uma vez que as empresas de ambos países poderão participar das licitações públicas em igualdade de condições.

Comércio entre Brasil e Chile

O Chile é o segundo principal parceiro comercial do Brasil na América do Sul. No ano de 2017 o intercâmbio comercial bilateral movimentou US$ 8,5 bilhões, um crescimento de 22% em relação a 2016.

Em 2018, de janeiro até outubro, as exportações brasileiras para o Chile chegaram a US$ 4,2 bilhões, o que representou um crescimento de cerca de 25% na comparação com o mesmo período de 2017.

O Chile tem o Brasil como um dos principais destinos dos investimentos chilenos no exterior, com estoque de US$ 31 bilhões.

Como licitar no Chile

Sua empresa já participa de licitações? Então poderá usufruir dessa oportunidade e oferecer materiais ou serviços para o Chile.

O processo de licitação e compras públicas do Chile fica disponível na plataforma eletrônica ChilheCompra, onde são reunidos mais de 850 órgão públicos chilenos. Dentro do portal ChileCompra existe um conjunto de ferramentas e regras bem definidas para ajudar a orientar nesse processo, que podem ajudar a ofertar seus produtos e serviços.

No portal ChileCompra é possível realizar buscas por oportunidades de negócios públicos e enviar suas ofertas de forma integrada. Além do mais, todos os órgão públicos estão concentrados no portal, facilitando o processo licitatório.

Esperamos que esse artigo tenha ajudado e demonstrado a oportunidade de negócio que é licitar no Chile.

O mercado bilionário Chileno é uma grande oportunidade de ampliar os negócios da sua empresa, ultrapassando as barreiras internacionais e aumentar o faturamento.

Rio do Sul - SC

Avenida Oscar Barcelos, 1731 – 2º andar, Centro Empresarial Classic, sala 202, Centro, CEP: 89160-027

São Paulo - SP

Avenida Angélica, 2529 - 6º andar, Edifício InovaBra Habitat, sala 112, Bela Vista, CEP: 01227-200