Conheça as principais disposições da Nova Lei de Licitações e sua relação com o ambiente digital

No dia 1º de abril de 2021 foi sancionada a nova Lei de Licitações (Lei nº 14.133/2021). Ela substituirá a Lei Geral das Licitações (Lei nº 8.666/1993), a Lei do Pregão (Lei nº 10.520/2002) e o Regime Diferenciado de Contratações – RDC (Lei nº 12.462/11). E um dos grandes destaques dessa nova norma é a modernização do processo licitatório.

Em diversos trechos da nova Lei de Licitações podemos observar a preocupação não apenas com a transparência e eficiência na contratação pública, mas também com a migração para o formato eletrônico. Inclusive, a nova lei traz como regra o processo eletrônico – que é muito mais transparente e eficiente que a licitação presencial.

Quer entender melhor como a nova Lei de Licitações leva o processo para o ambiente digital? Confira logo a seguir!

Lei nº 14.133/2021: a nova Lei de Licitações

A nova Lei de Licitações foi criada para implantar um novo regime geral de contratação pública baseado nas experiências já vividas com o pregão e com o Regime Diferenciado de Contratações Pública. Trata-se de uma legislação que apresenta avanços pontuais e moderniza o processo licitatório.

A Lei nº 14.133/2021 cria regras para União, estados, Distrito Federal e municípios – regulando os processos de licitação em todas as esferas. Além disso, prevê cinco modalidades de licitação: concorrência, concurso, leilão, pregão e diálogo competitivo.

O destaque das modalidades de licitação é o diálogo competitivo, que permite negociações com potenciais competidores previamente selecionados por critérios objetivos.

A nova Lei de Licitações também traz novidade em relação aos critérios de julgamento: além de menor preço ou maior desconto, também surgem os critérios de melhor técnica ou conteúdo artístico, técnica e preço, maior retorno econômico e maior lance.

Nova Lei de Licitações e o ambiente digital

Uma nova legislação que busca aumentar transparência e eficiência não pode deixar de lado todo o potencial do ambiente digital, não é? Justamente por isso, a nova Lei de Licitações abraçou a modernização dos processos e tornou a contratação eletrônica a regra para todos os procedimentos de contratação.

Veja os principais pontos de relação da nova Lei de Licitações com o ambiente digital:

Contratação eletrônica como regra

A contratação eletrônica passa a ser a regra quando falamos sobre licitação. Veja o que diz o § 2º § 4º e do art. 17:

§ 2 As licitações serão realizadas preferencialmente sob a forma eletrônica, admitida a utilização da forma presencial, desde que motivada, devendo a sessão pública ser registrada em ata e gravada em áudio e vídeo.

§ 4º Nos procedimentos realizados por meio eletrônico, a Administração poderá determinar, como condição de validade e eficácia, que os licitantes pratiquem seus atos em formato eletrônico.

Em relação à licitação de forma presencial, a nova Lei de Licitações não traz nenhuma condição específica. Veja o texto do § 5º do art. 17:

§ 5º Na hipótese excepcional de licitação sob a forma presencial a que refere o § 2º deste artigo, a sessão pública de apresentação de propostas deverá ser gravada em áudio e vídeo, e a gravação será juntada aos autos do processo licitatório depois de seu encerramento.

Princípio de virtualização dos atos de licitação

A nova Lei de Licitações também traz o princípio da virtualização dos atos da licitação. Segundo o art. 12, inciso VI, “os atos serão preferencialmente digitais, de forma a permitir que sejam produzidos, comunicados, armazenados e validados por meio eletrônico”.

Criação do Portal Nacional de Contratações Públicas

Por fim, a modernização das licitações também inclui a criação do Portal Nacional de Contratações Públicas (PNCP), que terá a missão de divulgar todas as licitações dos órgãos e entidades da Administração direta, autárquica e fundacional da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios.

Art. 174. É criado o Portal Nacional de Contratações Públicas (PNCP), sítio eletrônico oficial destinado à:

  • I – divulgação centralizada e obrigatória dos atos exigidos por esta Lei;
  • II – realização facultativa das contratações pelos órgãos e entidades dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário de todos os entes federativos.

Quando entra em vigor a nova Lei de Licitações?

A Lei nº 14.133/2021 entrou em vigor na data de sua publicação – revogando as atuais leis que contém regras sobre licitação e unificando-as em um único diploma legal. Porém, na prática essa revogação ocorrerá no prazo de 2 anos após a sua publicação.

Você já conhecia as disposições da nova Lei de Licitações e sua relação com o ambiente digital? Continue acompanhando no blog da Effecti e fique por dentro das informações sobre a Lei nº 14.133/2021!

Você pode Gostar

Modalidades de Licit

Modalidades de Licitação Em cada uma das modalidades de licitação...

O que é o diálogo

Aprovado neste último mês pelo presidente, o Projeto de Lei...

Oficial: aprovado o

O Ministério da Economia havia lançado em janeiro deste ano...

1 Comment

ricardo martins limongi

11 de maio de 2021

boa instrução pois licitação em ambiente virtual vai comandar 99% dos concursos

rightReply

Leave a Comment

Usamos cookies nesse site para oferecer a melhor experiência de navegação. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.